segunda-feira, 28 de novembro de 2011

♥ Porra, Xuxa!

 Quando o Theo nasceu, eu não fui aquelas mães lhoucas que colocava Beethoven, Mozart e o caraídeasa pro menino ouvir. Theo escutava música de ninar mesmo. Às vezes rolava um Babies Go Collections, mas né, tinha nadinha eu apresentar boa música pro filhote.
Mas logo Theo conheceu a tal da Meneghel e sua prole SPB. Sem problemas, aquilo é mágico (e tá, até meio educativo), coloco o DVD, um pacote de biscoito do lado e pronto: 1h praquele banho delícia, ou para fazer as unhas, ou aquela soneca do descanso merecido. Vai lá, Xuxa, acalma meu super hiperativo.
Deu pra ter uma relação de respeito com a loira diante disso.
Mas ó, a-c-a-b-o-u o respeito quando eu vi isso no SPB11:

 Nota: Tire suas crianças de frente do computador. Imagens fortíssimas.


COMASSIM, MEO???? Passo dois anos da vida do Theo ensinando certo e errado, bom e ruim, alto e baixo, direito e esquerdo, feio e bonito para vir a Xuxa e introduzir RESTART na vida do meu filho????
Xuxa, você me paga!

terça-feira, 11 de outubro de 2011

♥ 2º Aniversário do Theo - Parte II - O(s) Convite(s).

Muito ao contrário do que eu pensei, não tive tantos estresses (até agora) como no ano passado. Acho que por já saber aonde ir, o que fazer, o que comprar e o que não comprar. Aliás, tô gastando bem menos também. Ano passado abri mão de muitas coisas que eu queria, pois achava que iria encarecer demais o orçamento. Belo engano. O tal 'caro', não é tão caro, e enriqueceu bastante a festa.
Mas hoje a gente vai falar do primeiro passo 'do mãos à obra': Os Convites. Isso, no plural mesmo. A festa 'pequena' já ficou um tantinho maior, então os convites que eu fiz inicialmente não foram suficientes.
O convite foi uma embalagem com jujubas e uma arte do aniversário que eu mesma fiz e imprimi numa gráfica rápida. Depois foi só montar, e pronto!

Overdose de Jujubas!

Todas Ensacadas!

Pronto para montar.

Dobra, Cola, Queima o dedo, ops!

Prontinho!
 
Primeira Remessa de Convites!
Desse modelo da jujuba foram feitos 38 convites. Mas depois percebemos que tinha ficado gente de fora, então eu fiz um outro modelo de convite. Uma Foto-Convite, que também ficou lindo!

Tarja preta no horário e endereço.
Essa foto-convite será dado para os convidados que não tem criança em casa. Mas nem por isso não menos importante pra gente. E pra falar a verdade, amei os dois!

O que acharam?
Até o próximo capítulo! ;)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

♥ 2º Aniversário do Theo!

Há pouco menos de um mês para o Aniversário do Theo, eis que mudo todos os planos. A princípio, haveria uma festinha no seu colégio e apenas um bolinho em casa para não passar em branco, pois o dinheiro anda curto por aqui por conta das despesas com faculdade, colégio, enfim. Mas meus pais se proporam a me ajudar, então vamos lá, mãos a obra. Ainda será uma festinha pequena e simples, mas cheia de amor e carinho. Serão pouquíssimos convidados,apenas parentes próximos e os coleguinhas do colégio, pois decidi fazer apenas uma comemoração e me dedicar e dar o melhor de mim nela. 
O tema não poderia ser outro:
Backyardigans. THEO AMA.

Papai e eu já não agüentamos mais assistir inúmeros episódios de Backyardigans um após o outro. Baixamos praticamente todas as temporadas, pois o meu pequeno não tinha paciência de esperar pelo horário que a Discovery Kids transmite. Enfim, já andei fuçando algumas coisas, já tô naquele sentimento neurótico que me acompanha sempre que invento de fazer tudo sozinha. Mãos à obra?

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O Drama possui quase três anos. Aqui eu me tornei mãe de alguém, mulher de alguém, colega de muitos, amigas de alguns. O Drama nunca foi um blog só materno, um blog só de moda, um blog só de crônicas. Ele sempre foi muito de mim, sobre o que eu gosto, sobre o que eu vejo e sobre o que eu sou. E pra ser ainda mais meu, eu decidi privatiza-lo e deixar que somente algumas pessoas minhas façam parte dele. Por isso, amigas e amigos queridos, deixem aqui seu email para que eu possa enviar o convite. Durante uma semana esse post irá ficar no ar, na sexta feira próximo o Drama será privatizado.

Beijinhos,

Deni.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

♥ Mais uma vez.



Amanhã, antes de qualquer coisa eu vou dar “Bom dia” ao meu dia. Porque eu mereço e preciso me ter num dia bom antes de desejá-lo a outro alguém. Bom dia, dia bom. Que assim seja. Eu desejo fé e força também para o meu dia, pois a fé traz força e a força nada mais é que fé. Que todos os amanhãs da minha vida tenham amor, cumplicidade, abraço amigo e sorrisos verdadeiros. E apesar do pesares, eu possua em todos os amanhãs dessa minha vida, valentia o suficiente para não deixar a peteca cair e me sentir feliz sempre. Tem um alguém que merece. Amanhã, e depois de amanhã e depois de depois de amanhã, e enquanto houverem manhãs, tudo irá dá certo! Confie.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

♥ Jogos de Amor são pra se jogar.

Você me fala no futuro do pretérito, mas meus ouvidos, meu coração ou qualquer outras parte boba de mim preferem o futuro do presente. Sempre vai ser a primeira pessoa do plural, mesmo que você me diga que não dá mais, que não pode ser, que a ‘nossa música nunca mais tocou.’ É como um jogo onde constantemente as regras vão mudando conforme a minha vontade. E pra quê maior prova do que bate aí dentro do que você ainda ser efetivamente sempre o melhor jogador?
Você sempre vai me dizer “não” com um “sim” estampado no olhar. Eu nunca deixei de ser o número um da discagem rápida do teu celular. Teu toque sempre vai ser diferente dos outros, e estaremos sempre distante de um “game over”.

“Até parece que tudo o que eu fiz foi ruim, mas só sei que estou melhor assim...”

terça-feira, 7 de junho de 2011

Um amigo meu me falou sobre o “Código dos Piratas”:
Um pirata deixado para trás deve permanecer para trás.
Eu realmente deveria usar essa filosofia de vida para mim, e deixar todos os bobos piratas de nariz vermelho bem para trás, onde nem mesmo os olhos do meu coração ainda mais bobo de nariz vermelho consiga ver. Assim, o cara do sorriso perfeito com os olhos apertadinhos de uma cor que eu não consegui definir, ou o cara que tem a maior compatibilidade musical jamais vista, ou ainda aquele que me achou a cara da Sandra Bullock, ou o cara que fez uma vida inteira e depois saiu pela porta da nossa vida, seriam apenas meros palhaços com um tapa olho, um papagaio no ombro esquerdo e uma perna de pau.


quarta-feira, 25 de maio de 2011


Eu associo músicas à momentos. Talvez as músicas nem coincidam letra e situação, mas algo me diz internamente: “Essa é a música do seu momento...”
Como quando eu conheci um amor de uma vida inteira, e cantarolei "quando me perdi, você apareceu, me fazendo rir do que aconteceu, e de medo olhei, tudo ao meu redor, só assim enxerguei, e agora estou melhor..." (Esperando na Janela, Cogumelo de Plantão). Deus sabe o quanto já chorei cantando essa música para minha vida. O fato é que eu tenho um cd meu, que vez por outras compartilho com alguém, pois muitas daquelas músicas dizem muito sobre mim. E eu não gosto de estilos musicais, gosto de música. Seja ela metal, forró, hardcore ou gospel. É da música que eu me afeiçôo e não do rótulo.
Músicas me fazem superar dores, ou até mesmo senti-las ainda mais profundamente. Me fazem escrever coisas bonitas que ficam em alguma parte do meu coração bobo, ou do meu cérebro bobo ou de qualquer outra parte boba de mim, extremamente escondida e muda.
E hoje, eu quero compartilhar com vocês algumas das músicas que tocam em meu coração há algum tempo, mas que nunca saem do meu playlist.



Essas são algumas poucas faixas da minha coletânea "Dor de Cotovelo". São as que mais venho ouvindo ultimamente. "Sad songs are the best songs..."


♪ E então, qual a sua música triste preferida?

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Atenção: Esse post pode conter spoilers dependendo do seu nível de percepção. E não, eu não estou lhe chamando de retardado.

Fazia inexatos três anos que eu não ia ao cinema. Se eu fosse mais dramática diria que a última vez que fui foi na estréia de “O Auto da Compadecida” quando o Teresina Shopping só possuía três salas de exibição e se localizava onde hoje é o Banco do Brasil. Detalhes que só piauienses saberiam, tornando essa parte desnecessária.
Enfim, ontem assisti “A Garota da Capa Vermelha”, e pela lavagem cerebral que a Warner fez em mim transmitindo o trailler a cada intervalo da programação, eu esperava mais. Sabe? Não, não que o filme não seja bom. Ele é. Tem contrastes com a história original e um pouco de sexualidade.

Todos querem jantar a Red Cape. Todos.
Tem todo aquele suspense de saber quem diabos é o lobo. Aliás, isso eu achei bem chato, a todo o momento alguém é o suspeito da vez. A vovó, a mamãe, o noivo corno, o lenhador que usa gel no cabelo, o padre, o autista, a amiga invejosa. Mas no fim das contas, o lobo surpreende, e a Red Cape mais ainda. Safadinha.

Próximo filme: Thor. Porque eu quero mesmo é babar no Chris.

terça-feira, 10 de maio de 2011

♥ Micro Postagem.

Filho, um dia você me perguntará por que seu papai e mamãe não moram juntos.
Para essa pergunta eu já ensaiei a resposta. Eu vou te dizer que as palavras da mamãe um dia acabaram. Mas não se preocupe, filho. Mamãe sempre terá as mais belas palavras para você.


segunda-feira, 9 de maio de 2011

Meu coração agora mora dentro do coração de alguém que no momento não saberia explicar o que é Amor. Mas ainda sim, é o Amor mais puro, sincero e sem cobranças estúpidas que eu já pude sentir. É um sentimento sublimemente perfeito que me acorda com uma voz linda como o cântico mais lindo do mais belo pássaro, que tem um jeitinho manso de fazer tudo errado sorrindo, que me chama de um nome que nenhuma outra pessoa no mundo já chamou superando todos os “querida”, “meu bem”, “minha linda”, “meu amor” que eu já fui chamada, que corre ao meu encontro com a saudade de mil anos não importando se nos vimos a meio minuto atrás. Esse amor, perfeito amor, me faz de porto seguro, sente segurança nos meus braços, mal sabendo ele que meu mundo só é um lugar feliz ao seu lado. Nada é ‘meu’ ou ‘dele’, tudo é ‘nosso’. E não importa com quem eu esteja, onde eu esteja, ou o que eu esteja fazendo, só é bom, divertido de verdade se ele estiver lá presente.


Ele me chama de ‘Mãe’, é a única pessoa de quem eu preciso, e o amor da minha vida inteira.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Responda rápido, qual a profissão mais cobrada em todo mundo?
Sem dúvidas é a profissão MÃE. Ser mãe é adquirir uma autocrítica imensurável ali mesmo quando duas listrinhas rosas te denunciam grávida. Você se cobra ser sempre a melhor, seu marido, namorado, companheiro cobra que você seja sempre referência, sua família e amigos te exigem a perfeição. Mas, nós, mães, sabemos que não funciona bem assim, e apesar de inúmeros deslizes somos assim mesmo a melhor mãe do mundo pra alguém. Tem que ter bom humor pra lidar com certas situações que acontecem, pois se não, não serviria de lição, não serviria de história pra contar, não serviria de lembrança. Todos os dias, eu sou um pouco mãe de merda quando deixo o Theo dormir na cama comigo, quando dou a chupeta sempre que ele pede, quando a gente brinca descalço no quintal de areia depois da chuva, quando tiro o olho dele 2 segundos para atender o telefone, quando deixo ele comer chocolate antes do almoço, quando dou algo que ele queira birrando, quando o tiro da cadeirinha pra que ele durma no meu colo no carro, quando sento ele no meu colo enquanto estaciono o carro, quando deixo ele abrir um pacote de chetto’s antes de passar no caixa. E aí, isso me faz menos mãe? Com certeza não. Um dia é muito grande pra ser perfeita o tempo todo, tem que descontrair, entrar na dos nossos filhos, esquecer um pouco as regras. Fui imensamente julgada por não ter amamentado meu filho até os 6 meses. Só amamentei até os 2 meses. SOU, inúmeras vezes, aplaudida por meu filho ser forte, grande, gordinho e saudável. Não desmereço as mães que amamentam seus filhos, eu tinha esse sonho, mas não foi possível, porque cada caso É um caso. Cada um sabe da sua vida, então não adianta julgar e apontar.
Determinado blog fez uma brincadeira com relação a esses instantes da nossa vida que por mais que tentássemos tem quatro olhos em cima do nosso pequeno, não é possível. Então, seja você uma ‘doriana mãe’ ou uma ‘mãe de merda’, ainda sim, você é a melhor mãe do mundo pro seu filho.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Sobre ciclos que se encerram.

Conheço o pai do meu filho há mais de quatro anos. Nesse tempo, tivemos altos e baixos, aliás, muitos mais baixos do que altos, que foram compensados quando nosso filho nasceu. Terminamos três meses após o Theo nascer, voltamos alguns meses depois, tivemos outras pessoas. Realmente tentamos, durante algum tempo achavámos que daria certo, mas a não deu. Há mais de uma semana terminamos. Voltei pra casa dos meus pais. O respeito havia acabado, o amor, a amizade. Quem sabe um dia a gente consiga olhar um pro outro e não sentirmos mais mágoa. Quem sabe. Mas hoje, hoje não dá. Seria pedir muito, tanto pra mim quanto pra ele. Foi melhor assim, principalmente para o Theo, que merece um lar (ou dois) com muito carinho. 


Enfim, é isso. Amanhã coloco fotos da nossa páscoa.

domingo, 24 de abril de 2011

25.04.2011 ♡

Eu tenho medo de escadas rolantes. Considero bom humor tão sexy quanto champagne. Admiro homens que tratam bem o garçom, não furam fila e não jogam lixo no chão. Memória congestionada. Cabeça-dura. Coração mole. Acredito no amor e em gnomos que roubam as canetas da minha bolsa. Torço para que a vida ensine mais do que as mentiras que as pessoas contam. Ainda não cansei de ser eu. Tenho mania de listas. Não digo mais tantos ‘eu-te-amos . Arranco todas as etiquetas que me pinicam. Não sei se caibo nesse mundo. Não quero me acostumar a votar no político menos corrupto, a não dar boa noite para meu filho, a engolir o choro porque já cresci. Meu coração não é auto-suficiente. Minha indecisão me irrita. Trânsito me irrita. E azeitona com caroço me irrita. Só. Odeio QUASEs, prefiro inteiros possíveis. Sofro de saudades agudas que doem mais que gastrite. Às vezes pego o caminho mais longo só porque é mais bonito. Queria que minha mãe fosse eterna e que sentimentos não envelhecessem. Algumas das músicas do meu celular me acompanham há muito tempo. Optei por ser mãe solteira. Parei de roer as unhas. Amo meu trabalho. Decidi entrar na faculdade e não mais terminar meu curso anterior. Adoro reencontros, novos sabores e o olhinho do Theo fechado enquanto rir. Não dependo de ninguém financeiramente, mas dependo emocionalmente do meu filho. Meu quarto é azul com branco. Penso duas vezes antes de comprar algo pra mim, não penso nem meio segundo antes de comprar algo pro Theo. Sei todas as músicas do Patati e Patatá. Sou viciada em internet pelo celular e sapatilhas. Essa sou eu, Deni aos 23. Feliz idade pra mim.

terça-feira, 5 de abril de 2011

#MãedeMerda

Domingo recebemos alguns amigos em casa, enquanto o Bráulio assistia o jogo do Vasco com o padrinho do Theo, Ênio e o Nando, eu e as namoradas deles conversávamos na varanda enquanto Theo brincava próximo à nós. Em um lapso de segundo, quando eu pisquei, o Theo se desequilibrou e caiu de cara em um jarro de plantas. Eu me tremi toda, minha reação foi agarrar ele que chorava aos berros de dor. Em mim doía mil vezes mais. Eu apertava ele contra mim, enquanto o Bráulio tentava colocar gelo no local da pancada. Em segundo ficou horrível, bem inchado, vermelho. Meu coração de mãe fica dilacerado em milhões de pedacinhos toda vez que eu olho. Eu sinto culpa, incapacidade, ódio de mim mesma. Eu poderia ter evitado...
Mãe de Merda :(((((((

quarta-feira, 23 de março de 2011

1 ano e 5 meses de nós, Vida.

Você era tão pequeno, filho e eu já sonhava com o dia em que eu chegaria do trabalho e você correria ao meu encontro, abraçaria minhas pernas e sorrindo diria “mamãe”. Hoje eu almejo a cada amanhecer que essa hora do dia chegue logo, e possamos juntos comemorar mais um dia de descobertas suas, e minhas também.


Oh, can't you see
You belong to me
How my poor heart aches
With every step you take

Every move you make
Every vow you break
Every smile you fake
Every claim you stake
I'll be watching you
Every Breath You Take - The Police

quarta-feira, 16 de março de 2011

I just need your love ♡

Naquele dia 17 de março de 2007, eu fui com a cara e a coragem sem pretensão nenhuma de ser acertada. Conheci você, seu sorriso, e o meu companheiro da vida toda. Nesses quatro anos, você sabe me responder quantas vezes já ouvimos nossas músicas juntos? Quantos km’s já percorremos juntos? Quantos sonhos realizamos, ou quantos ainda estão a nossa espera? Nesses quatro anos, quantas vezes já dissemos em palavras que nos amávamos, ou quantas vezes já magoamos nossos corações? Quantas vezes já dissemos sim para nós mesmos?
O que começou naquela noite de 17 de março de alguns anos atrás, tomou dimensões imensuráveis em pouco tempo, hoje é materializado na forma daquilo que nada mais é que o resultado do meu amor por você, e do seu amor por mim; Nosso Theo.
É tanto a te agradecer; é tanto a me desculpar. Eu só queria estar lá a cada vez que eu não fui a mulher de jeans rasgado e blusa branca por quem você se apaixonou, só queria recuperar o sorriso daquele cara apaixonado que segurou a minha mão e me puxou de volta para o carro para me dar o último beijo de boa noite naquela primeira noite do resto de nossas vida, só queria perder o fôlego e recuperá-lo mais do que imediatamente como na primeira vez que você me amou e eu amei você, só quero o cheiro de chuva na rede da varanda escutando nosso eterno “Dor de Cotovelo Song’s”.
Talvez amanhã, ou depois, ou quem sabe no segundo após você ler esse texto eu possa recuperar como num toque de mágica tudo que se perdeu pelo caminho ao logo dos quatro anos do nosso felizes para sempre, pois apesar dos “pesares” a nossa história é tão linda, tão incomum e verdadeira que sempre vai valer a pena mais um capítulo a escrever.


Feliz 4 anos de Felizes para Sempre, Amor de uma vida inteira.
Love You Till The End.

quinta-feira, 10 de março de 2011

 
Na semana do Carnaval percebemos que Theo estava um pouco cansado. Levamos no Prontomed Infantil, e diagnóstico: Início de Pneumonia devido uma gripe mal curada. Não preciso nem dizer a sensação para as mamães que lêem meu blog, né? Fiquei sem chão. Uma série de cuidados e sessões de fisioterapia nos turnos da manhã e tarde. Os cinco primeiros dias me deixaram uma pilha. Noites mal dormidas, horários rigorosos dos remédios, fisioterapia pela manhã e pela tarde, inalação quatro vezes por dia. Graças a Deus, meu pedacinho de céu de portou muito bem, não encrencava para tomar os remédios, foi muito elogiados pelas tias fisioterapeuras. Enfim, o pior já passou, mas foi um baita susto.
AH! Perceberam? Theo está de corte novo. :) Um rapaz, não?

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Sem ânimo, sem paciência e sem perspectiva. Era assim, dia após dia. Quando algum âmbito não vai bem na sua vida, dificilmente se consegue compensar em outro. Eu tentava, contava as horas para estar com meu filho, sentindo o calor do sorriso dele, a paz que aquilo me proporcionava. Cheguei ao meu limite, e para chegar ao meu limite é muito custo. Distribui currículos, falei com conhecidos, e a cada dia parecia mais que nenhuma porta se abriria para mim. Mas tive fé em Deus e em mim. A oportunidade surgiu em um dia que foi tão difícil, tão tortuoso, através desse texto:

Estou precisando de uma assistente maravilhosa. Uma menina que saiba vender com um sorriso sincero e desenrolar os nós de todos os tamanhos. Eu quero uma mágica, uma amiga, uma parceira. Uma pessoa que me ajude como ninguém mais poderia. Eu preciso de alguém que venda meu conceito, minha roupa, minha marca, na loja e na Internet, ou no meio da rua, no meio de uma chuva, onde for. Alguém que vista esta camisa com paixão. Alguém que encare o trabalho como uma luta diária todo dia e que quando deitar a cabeça no travesseiro se sinta uma guerreira vencedora. Eu quero alguém que me complete, mas não concorra comigo. Alguém que queira aprender acima de tudo e que me ensine coisas que eu nunca aprendi. Eu quero alguém isento de frescura do tipo pegar ônibus ou passar pano de chão, mas cheio de frescura na hora de se maquiar ou arrumar as unhas e o cabelo. Alguém que seja diferente de mim. Alguém que seja igual a mim. Eu preciso de alguém que cresça comigo, cresça com minha empresa e nos ajude a crescer. Eu preciso de uma menina rápida, dinâmica, resolvida e independente, de pai, mãe ou namorado. Eu preciso de um anjo. Eu preciso de alguém que saque mídias sociais, marketing de moda e administração de empresas. Alguém “Faz Tudo”. E que busque o crescimento pessoal mais do que qualquer outra coisa. Alguém com inspiração e um pouco de piração às vezes. Uma menina que cative pessoas para fazê-las voltar mais vezes e sentirem em casa. Alguém que tenha opinião própria, mas que também saiba obedecer. Preciso de uma pessoa que seja livre para tomar decisões e segura para ser eu quando eu não estiver presente. Alguém que entenda que a cliente é uma patroa, mas que a nossa opinião é muito importante para ela. Que às vezes só falta um empurrãozinho para que a menina passe logo aquele cartão de crédito. Uma menina que eu possa confiar de olhos fechados. E que encare essa oportunidade não como um desafio, mas como um primeiro passo. Eu preciso de uma menina disposta, todas as horas do nosso expediente. Uma menina surpreendentemente flexível. Uma menina de fé e que tenha admiração pelo atelier. Uma plantadora de rosas pela casa. Se você é essa pessoa, a vaga é sua!


Me candidatei a vaga, fui chamada para a entrevista (a melhor entrevista da minha vida) e quanto mais ela explicava sobre o emprego e as expectativas dela, mais eu queria trabalhar ali. Não haveria assédio moral, não haveriam gritos, humilhações. E principalmente, eu queria muito trabalhar ali, aquele texto foi pra mim.
Dias se passaram depois da entrevista, até que um e-mail fez meu coração sentir paz de novo. A vaga era minha.
Pedi demissão hoje, e dia 15 de fevereiro começo uma nova etapa muito mais linda da minha vida.

Obrigada, Deus.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Feliz Idade, Minha Melhor Amiga ♡

Hoje eu quero falar da primeira vez em que eu vi a minha melhor amiga. Eu não lembro de fato onde foi, mas me lembro que a impressão que ela me passou. Achei ela meiga, mas nunca imaginei que ficaríamos mais próximas. Ela, namorada do primo do meu namorado. E encontros e mais encontros da família “Batista” aconteceram até que um dia o destino resolveu nos colocar lado a lado. E a gente se reconheceu, só isso explica. Deve ser algo de outra vida, pois num instante depois eu já via ali a minha melhor, melhor amiga. Ela é tão pura de coração que seria capaz de tirar a Excalibur da pedra, ela consegue ser mais dengosa do que eu, aliás, ao lado dela eu não sou nem um pouco dengosa. A voz dela é doce, calma, passa uma tranqüilidade só de ouvir o “oi, amiga” dela quando eu a ligo. A índole dela é admirável, aliás, infinitas coisas nela são admiráveis. Ela é a pessoa mais prestativa que eu já conheci. Hoje é o dia especial dela, e além de parabenizá-la e paparicá-la como ela merece, hoje eu quero muito agradecer a Deus por ter uma melhor amiga assim, do jeitinho dela.
Anália, amiga linda, amo você.
Que muitos aniversários seus eu possa estar ao seu lado.



quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Batizado.

Adiei o Batizado do Theo por mais tempo do que deveria. Primeiro por isso, depois por aquilo, esquecia de ir na igreja marcar, mas na quinta passada pedi que o Bráulio fosse na igreja marcar, e pronto! Amanhã é a reunião com os padrinhos e domingo agora já é o Batizado. Corri com os preparativos. Devido o estresse que tem sido acima do normal aqui na clínica, não consegui fazer um convitinho personalizado, mas encontrei um na papelaria que até me agradou. Nada daquelas imagens bregas. Vejam só:
Resolução ruim, foto de celular.

A escalação dos padrinhos ficou a seguinte:
- Padrinho de Batismo: Ênio (primo do Bráulio)
- Madrinha de Batismo: Neta (minha irmã)
- Padrinho de Consagração: Samuel (meu primo)
- Madrinha de Consagração: Amanda (irmã do Bráulio)


Depois da missa, vou oferecer um almoço aos poucos convidados (no máximo 30 pessoas, somente parentes mais próximos). Pensei em contratar um buffet em domícilio, mas o preço foi surreal. Então, contratei uma cozinheira que eu conheço que faz pratos maravilhosos! Ela já me deu a lista de compras, já fechamos o valor, já combinamos o horário, tudo nos conformes. Já aluguei as mesas, os pratos e talheres, e vou aproveitar minha folga de amanhã pra comprar as bebidas. Vou encomendar o bolo hoje, as compras do almoço só no sábado a tardinha.

Enfim, acho que não falta mais nada. Assim tudo muito em cima da hora, mas feito com muito carinho.


sábado, 22 de janeiro de 2011

Desânimo.

Eu venho percebido que tenho tido pouquíssimos recadinhos nos últimos post's. Na verdade o meu blog nunca "emplacou" de verdade. Nunca cheguei a ter dezenas de comentários como os blogs que acompanho, mas sempre adorei o carinho dos poucos que tinha. Tudo bem que abandonei o blog por uns tempos, mas agora que venho postando assiduamente, tenho sentido falta de algumas presenças. 
Um blog é como um diário, mas não é como aquele diário que você teve aos 14 anos no qual escreveu que foi beijada na boca pela primeira vez na parede do banheiro masculino do colégio, e depois escondeu na última gaveta da cômoda debaixo de toda a roupa de cama possível para ninguém ver (adolescência feelings). Não, no blog você escreve por quer compartilhar com as pessoas que leêm que foi àquela festa, que vestiu aquela roupa linda, que seu filho fez isso ou aquilo, que precisa de um conselho. É como se você escrevesse para ser ouvida e quer uma palavrinha de retorno, um consolo, um sorriso, qualquer coisa.
Enfim, tá batendo um desânimo em levar a diante o blog, mas não queria abandoná-lo. Espero que seja só uma fase, ou uma pré TPM chegando.
Vejamos cenas do próximo capítulo.


Deni Brito.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Domingo foi o aniversário do meu pai, então fomos todos os cinco filhos, mais agragados e os quatro netos para um churrasco lá. Eu particularmente odeio ir pro sítio, mas vá... era aniversário dele, e o Theo é neto, e era o jeito mesmo.
O Theo não tinha ido ainda desde que nasceu. rs Mas aproveitou cada segundo lá. Banhou até naquele riacho que eu conheço desde mil novecentos e bolinha, e nunca tive coragem de banhar.
Abaixo fotos:
Beijinhos,


Deni e Theo.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Crônica do Amor Perfeito

* Texto publicado no Recanto das Mamães Blogueiras, o qual sou colaboradora todas as sextas.


Filho. Tem muitos mais na junção dessas cinco letrinhas do que se pode imaginar. Só quem é mãe sabe e sente, assim, simples, sem precisar ninguém ensinar. Ser mãe é algo como ter o gene correndo em nossas veias desde o momento em que nós mesmo nos tornamos filhas de alguém. Esse gene se desenvolve no decorrer da infância, nas brincadeiras de bonecas, no carinho que temos por aqueles olhinhos imóveis de um rostinho angelical de um ser inanimado. E, um belo dia, quando descobrimos que existe alguém tomando forma dentro de nós mesmas é como se um mundo azul (ou cor-de-rosa) de bolinhas brancas tomasse conta de um mundo antes vazio. Os dias se tornam longos e ao mesmo tempo, correm. E logo aquela barriga linda, que provocou sorrisos e olhos comovidos de tanta gente, desaparece, e dá o lugar (e a atenção) para alguém pequeno, indefeso, perfeito. Filho. Por mais que você repita, e independente de quantas vezes se é mãe, é algo grande demais para que se assimile. Leva uma vida inteira, a sua e a dele, se renova a cada chorinho dengoso, a cada sorriso, a cada olhar de cumplicidade, a cada pedido de colo, e até mesmo quando ele descobre que o papai é mais legal, mas na hora do 'socorro' é pra você que ele corre. É Amor Perfeito, mútuo e imensurável. É verdadeiro e eterno.

"Fecho os olhos pra não vê passar o tempo
Sinto falta de você.
Anjo bom, amor perfeito no meu peito.
Sem você não sei viver..."

Amor Perfeito, Roberto Carlos 

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Escolhas.

Nunca fui muito boa com as escolhas que faço. Um vestido, uma sandália, um batom, seja o que for, costumo de arrepender depois até mesmo quando essas escolhas foram, digamos, bem escolhidas.
Uma escolha que fiz quando estava ainda grávida do Theo tem me tirado o sono. Os padrinhos de batizado.
Vamos direto ao ponto. 
A Madrinha de Batismo do Theo é minha irmã caçula. E a propósito, sou madrinha do filhote dela. A Neta ama o Theo, brinca bastante com ele, convive com ele. Não tenho muito o que reclamar dela.
A Madrinha de Consagração é a irmã do meio do Bráulio, a Amanda. Apesar da pouco convivência, ela é bastante carinhosa com o Theo.
Agora vamos ao X da questão.
(pra quem ia direto ao ponto tô enrolando demais, né?)
Os Padrinhos.
A princípio, a escalação seria a seguinte:
Cássio, marido da Neta, seria o padrinho de consagração, e o Yan, amigo de infância do Bráulio, seria o padrinho de batismo.
Bem, minha irmã já se separou e voltou com o marido uma meia dúzia de vezes, o que fez com que eu tenha dado cartão vermelho pra ele. Então, coloquei meu primo, Samuel, pra substituí-lo. 
O Samuel sempre foi muito atencioso e protetor com o Theo, então nem pensei duas vezes.
O Yan é um padrinho um tanto quanto 'omisso', convive muito pouco com o Theo, e as vezes que nós o procuramos para levar o Theo ao seu encontro nunca dão certo.
Eu tive a experiência de um padrinho maravilhoso, presente, amoroso. Infelizmente ele faleceu, mas eu guardo na memória todos os exemplos que ele me deu, e é isso que eu quero pro Theo. 
Antes do batizado, os pais e padrinhos assistem uma reunião na igreja para que seja explicado a importância da escolha dos padrinhos. Os padrinhos são as pessoas que podem vir a substituir os pais. É necessário presença, responsabilidade, participação. E eu vejo que não é bem isso que vem acontecendo. Já tive algumas conversas com o Bráulio, e penso seriamente em um segundo cartão vermelho. Tenho minhas diferenças com o padrinho de batismo, é bem verdade, mas se isso é maior do que a participação que oferecemos a ele na vida do meu filho, lamentamos, mas procuraremos alguém que realmente queira fazer parte.
Vi a Dina, mamãe do Felipe, certa vez, lamentamos sobre a escolha dos padrinhos, e não quero ter de passar por isso.
Isso é coisa séria, não é mesmo?

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

I'm sorry!

Foram quinze dias de recesso do trabalho e nenhum post nem aqui, e nem no Recanto das Mamães Blogueiras. Sinto muito, amigas.
Enfim, aproveitamos muitos esses dias. Brincamos muito, passeamos muito, gastamos muito, mas não viajamos. Ah, e pintamos o quartinho do Theo. Desde que ele nasceu, compartilhamos o mesmo quarto, que antes era um com paredes verdes e brancas. Mas há uns 3 meses nos mudaram pra um menor que tinha as paredes vermelhas e beges. Nada apropriado para o quarto de um bebê, então resolvemos, Bráulio e eu, pintarmos nós mesmo o quarto. Escolhemos a cor Azul Céu, que nada mais é que um azul bebê da cor do céu. Duas paredes azuis, duas paredes brancas para iluminar. Ficou lindo! Tirei algumas fotos enquanto pintavámos, mas acabei deletando sem querer da máquina com o crtc + del impensado. Sorry!
Então, o Natal por aqui foi tranquilo, apenas jantamos fora e depois meus pais viajaram frustrando totalmente meus planos de sair, e como não posso contar com ninguém pra deixar o Theo, o jeito foi me conformar.
Ano novo passamos na casa de uns tios do papai do Theo. Ele estava com febre devido alguns dentinhos que estão erupcionando, então voltamos logo após a meia noite. 
Enfim, Ano Novo, promessas novas, assunto pra um próximo post.
Desejo a todas as minhas queridas amigas que me acompanharam por mais esse ano que se passou muita paz, saúde e ryqueza. 


Deni e Theo

P.S: 
Essa é a Estrela, a cabrinha de estimação que o Theo ganhou de presente.