quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Filho,

Dizem que o ano realmente começa após o carnaval. Mas na verdade o meu ano começou, e não exagero em dizer que a minha vida começou há um ano atrás, depois de um carnaval. Um mês antes do meu ano realmente começar, eu escrevi uma lista de desejos no qual você não estava, eu nunca imaginaria ali que você era tudo que eu queria. Foi ímpar aceitar que, nos tantos dias que viriam pela frente, ao invés de cuidar da lista, eu faria uma contagem regressiva, na torcida para que o seu olhar fosse o meu, o seu sorriso fosse o meu, a sua mão sempre coubesse dentro da minha pra te proteger. Eu fui me reinventando. Nascendo de novo, de mim pra alguém que vivia em mim e mesmo sem conhecer já era a razão do meu amanhecer, sorrir, e viver. Tive o privilégio de te ter só pra mim, dentro de mim, mais meu do que de qualquer outra pessoa. Você mexia pra mim, respirava pra mim, vivia, mais uma vez, em mim. E isso por mais que eu tentasse explicar era algo tão e somente meu que ninguém jamais conseguiria entender. A vida latejava mais forte. E era grande demais a vida que eu guardava em mim. Renasci em você, eu e você. E você ainda trouxe algo novo: um milagre só seu. Por você eu me pari mil vezes. Nova, diferente, corajosa. Atirada, confiante, inteira. Aquela urgência que eu não compreendia era a minha urgência de ser. Ser melhor pra você. A passagem de um segundo a outro nunca foi tão definitiva. Em um instante você vivia literalmente dentro de mim, e noutro eu vivia definitivamente em você. Há um ano atrás descobri você, filho. Me descobri em você. Há um ano atrás, nasceu uma mãe.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Distinguir quem é amiga de verdade, quem se importa de verdade no meio de milhares de sorrisos e abraços não é tarefa fácil. Discernir quem dos 65 comentários deixados no post anterior tem realmente carinho por mim, pelo meu filho e por nossa história é complicado, e quer mesmo nos acompanhar e não apenas estar a par das novidades seria como separar o joio do trigo. Não dá.

Ficamos assim, do jeito que está.

Assim mesmo, obrigada à todas pelo interesse em participar do blog.

Há tantos assuntos a serem posto em dias. Eu com certeza não vou me lembrar de todos agora, mas vamos com calma. Aliás, a palavra de chave na minha vida agora é CALMA.

Meu filho continua lindo, na verdade, ele fica ainda mais lindo a cada dia. E se eu tenho força pra suportar e superar o que for, a fonte é ele. Meu tudo, meu mundo, meu eu é meu filho. Segunda feira ele faz quatro meses. Passa muito rápido, é incrível! Na última pesagem, com 3 meses o peso era 6.850g e 64cm. Já vira sozinho, tem uma conversinha linda de se ouvir, adora todos os desenhos do canal Discovery Kids, dorme a noite toda, já come papinha salgada, adora raspinha de maçã, mamão, banana, toma suquinhos variados, mas o preferido é o de laranja, ama água de coco e o leitinho já é o Ninho Prebio +1 que é sempre acompanhado de Mucilon de arroz.

Eu praticamente já retomei meu corpo antes da gravidez, estou um pouquinho mais ‘encorpada’, mas estou satisfeita. Fiquei um pouco deprimida, mas logo passou. Me permite comprar roupas novas, mudei o cabelo, comecei a sair, aliás sair até mais do que antes de ter o Theo. Ele é ótimo, dorme às 9hs e quando eu chego de madrugada ele tá lá, no soninho tranquilo dele. Ah, antes de me denunciarem pro conselho tutelar, minha mãe fica com ele, ok?

Minha licença maternidade terminou dia 17 de janeiro, e prontamente dei entrada em minhas férias acumuladas, no início de fevereiro, meu chefe pediu que eu voltasse as minhas atividades o quanto antes, pois eu iria assumir um novo setor. Eu preciso do meu trabalho, preciso sustentar meu filho, então, com o coração partido e com muitos dias de antecipação voltei ao batente. Digo que ainda não superei a separação, estou tentando sobreviver ao fim da licença maternidade. Há dias que saio de casa e não o vejo acordadinho, e volto à noite e meu filhote já está dormindo. Sei que ele está sendo muito bem cuidado por minha mãe e a babá que contratei pra ajudá-la, mas a sensação de estar perdendo espaço na vida dele doi muito.

Aconteceram coisas desde a última vez que estive por aqui que me fizeram perder o chão. Decepção grande, dor enorme, coração foi ferido. Não, nem pensem que tem a ver com o Bráulio, ele é o tipo de pessoa incapaz de fazer algo que possa magoar alguém. Mas sabe aquela história que contam? “Há males que vem para o bem” Então, se aplicou aqui.

Por conta de um erro de alguém próximo, eu consegui enxergar problemas em mim que todos viam, mas eu, ou ignorava, ou fingia não ter. Enfim, estou procurando ajuda profissional, e com fé em Deus, pelo meu filho e por amigos que acreditam em mim, eu vou conseguir.

Não tá entendendo muita coisa? Não precisa. Tô desabafando.

É isso, tô de volta. E com certeza você vai ler posts que não vai entender nada, mas não precisa entender. Eu é que preciso escrever.


Fotos atualizadas:



New Year, New Hair!



Meu Sol!


domingo, 14 de fevereiro de 2010

IMPORTANTE!

Amigas, estou voltando, mas irei privatizar o blog por motivos que serão explicados quando o mesmo já estiver privado.

Por favor, deixem seus e-mails até sexta-feira, dia 19.
Obrigada.