sábado, 29 de novembro de 2008





O filme do final de semana será Closer. Afinal, todos nós sempre passamos perto demais do amor.



Alice - Eu não te amo mais.
Dan – Desde quando?
Alice – Agora. Agorinha. Não quero mentir. E não posso contar a verdade. Então está tudo acabado.
Dan – Não importa. Eu te amo. Nada disso importa.
Alice – Tarde demais. Eu não te amo mais. Adeus.

[...]

Alice – Vou contar a verdade. E você pode me odiar.
Alice – Larry e eu transamos a noite toda. Eu adorei. Eu gozei.
Alice - Eu prefiro você. Agora saia.
Dan – Eu já sabia. Ele me contou.
Alice – Você sabia?
Dan – Eu queria ouvir de você.
Alice – Por quê?
Dan – Ele podia ter mentido. Você não.
Alice – Eu não teria te contado. Você nunca me perdoaria.
Dan – Perdoaria. Eu perdoei!
Alice – Por que ele contou?
Dan – Porque ele é um babaca!
Alice – Como ele pôde?
Dan – Para que isso acontecesse.
Alice – Mas por que me testar?
Dan – Por que sou um idiota!
Alice – Sim.
Alice - Eu teria te amado... pra sempre. Agora saia.
Dan – Não faz isso. Fala comigo.
Alice – Já falei. Fora!
Dan – Você entendeu mal. Eu não queria...
Alice – Queria sim.
Dan – Eu te amo!
Alice – Onde?
Dan – O quê?
Alice – Me mostra! Cadê esse amor?
Alice – Eu não o vejo. Eu não posso tocar nele. Eu não sinto. Eu te ouço. Escuto umas palavras... Mas não posso fazer nada com suas palavras vazias. Diga o que disser. É tarde.
Dan – Não faz isso!
Alice – Está feito.
Dan - O que faz quando não ama mais?
Alice - "Eu não te amo mais, adeus!"
Dan - E se você ainda ama?!
Alice - Não, vai.
Dan - Nunca abandonou ninguém que ainda amava?
Alice - Não!

E essa história termina para outra começar...


Perto demais. Tão perto que talvez seja o mais verdadeiro final das histórias de amor.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

[música do plantão da globo]



Interrompemos a nossa programação normal para o seguinte comunicado:

Eu, como a excelente amiga teresinense que sou, não sabia que meu querido amigo paulista estaria aniversariando hoje. Ok, eu não sabia porque ele nunca me disse, mas isso é um fato pra eu jogar na cara dele o resto da vida e não vai justificar caso ele esqueça do meu.
Enfim, caro-amigo-paulista, adoro você. Adoro conversar com você. Adoro quando você tenta pôr os meus pés no chão. E principalmente, adoro saber que tenho um amigo maravilhoso mesmo que tão distante.
Parabéns, Marcus. Sinta-se abraçado, beijando e principalmente, agredido por não ter me dito que seu aniversário é hoje.
Beijos!

Pê.êsse: E compre muita muamba pra mim na 25th march que eu lhe adorarei ainda mais! :D

Voltemos a nossa programação anormal.



Eu não me apaixono mais por ele. O que significa que agora podemos nos relacionar. O que significa que agora, posso ficar tranquilamente ao lado dele sem odiar meu cabelo e minha bunda e minha loucura. E posso vê-lo literalmente duas vezes ao ano, sem achar que duas vezes na semana são duas vezes ao ano. E posso vê-lo ir embora, sem querer mandar mensagem ou e-mail. Consigo até dar tchauzinho do portão. Tchau, querido novo amigo.
E ele me olhando com preguiça. E eu adoro o olhar de preguiça. Não só o dele. Não de adorar e venerar e querer me perder. Só adoro, acho meigo.
Enfim. Dizem que namoro ou casamento ou qualquer relacionamento mais sério não pode dar certo, eu discordo. O que definitivamente não dá certo, ao menos para mim, é se apaixonar. Agora, que graça tem fazer qualquer coisa da vida sem estar apaixonada? Ô vidinha filha da puta.



 

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Em algum momento da sua vida você percebe que toda a loucura não ficou de herança só pra você. Quem sabe o sarcasmo, a pouca paciência, mas a loucura, definitivamente não. Tudo bem, uma pessoa que trabalha dozehoras por dia é facilmente justificada pela pouca habilidade de ter paciências às seishorasequarentaecincominutos de uma manhã quente como o meiodia. Maaas, pode piorar, meubem. Pode piorar.

Personagem I: Eu.
Personagem II: Imbécil Incoveniente que usa regata branca e calça jeans colada.

- Oi?
- (aceno com a cabeça)
- Essa clínica que você trabalha, basicamente trata o quê?
- Saúde Bucal. (demonstrando pouca paciência e interesse no assunto)
- E como faz para marcar consulta?
- Você liga, marca e comparece a consulta. (oi? eu não tô afim de papo)
- Pois me dê o número.
- (falo o número)
- E o seu celular?
- Hã?
- É, vai que não consigo falar por esse número, pelo menos teria outra opção.
- Você vai conseguir falar com esse número.
- E qual seu nome?
- Deni (oi? não tô afim de papo)
- O meu é Paulo César.

[pausa dramática: oi, você não tá esperando que eu dê um beijinho de um lado e de outro não, né?]

- (aceno com a cabeça mais uma vez)

[ponho os fones de ouvido para ouvir música no celular, mas ele não se deu por vencido]

- Poucas mulheres ficam elegantes de farda. E a calça cinza com essa blusa laranja combinam muito bem em você.

[pausa dramática again: Coméqueé? Tá me dizendo que eu lindaloiraaltaemagra combino com essa fardinha cinzaelaranja sem graça e sem cor?]

- Obrigada.

[ah,ônibusfilhodumaéguaquenãochega]

- Tá indo pro trabalho?

[telefone toca, misericordioso Deus teve piedade de mim]

- Oi, cunhado!
- Quer carona?
- Mais do que qualquer outra coisa na vida!
- Tô te pegando aí.

- Cunhado namorado da irmã ou Cunhado irmão do Namorado?
- Com licença que minha carona chegou.


Pra sorte do cara, hoje nem era Segunda-Feira. Senão, lamentaria por ele!



 

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

 


















QUE PORRA DE SAUDADE É ESSA?






















 
 

essa história de que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar é tudo balela. cai sim.
coragem pra mim, muita coragem.


 

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Fala por mim, Nenhum de Nós:

 


Por que você não disse que viria?
Logo agora que eu tinha
Me curado das feridas
Que você abriu quando se foi
Por que chegou sem avisar?
Eu queria tempo pra me preparar
Com a roupa limpa, a casa em ordem
E um sorriso falso pra enganar
Eu não entendo a sua volta
Eu não entendo a sua indecisão
Num dia sou seu grande amor
No outro dia não, não, não
Por que a surpresa da sua volta?
Justo quando eu tento vida nova
Você vem pra perguntar
Se tudo que eu sentia acabou
Você até parece um vício
Que largar é quase impossível
Exige muito sacrifício
E quando eu me considerava limpo
Vem você pra me oferecer mais
Vem você pra me oferecer mais, mais, mais

Eu não entendo a sua volta
Não entendo a sua indecisão
Um dia sou seu grande amor
No outro dia não, não, não



►list: Nenhum de Nós - Eu não entendo


 

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Aham, Deni. diz:
Foi?!

Thiaggo´s diz:
nakeeeeeeeeeeeeeeeela epoca

Aham, Deni. diz:
HAHAHA

Aham, Deni. diz:
Eu não sabiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiia

Aham, Deni. diz:
HAHAHAHA

Thiaggo´s diz:
q tu era uma mistura de schynaider com com aquela rbd.

Thiaggo´s diz:
haushaushuahsuahsuahs

Aham, Deni. diz:
HAHAHAHAHAHHAHAHHA





   ah cara, e agora eu sou a mistura de quê? :D





 
 


Agora me diz: Medo de mim, por que? Sou eu é quem deveria o ter. Eu me conheço desde que nasci, e definitavemente eu não me recomendo. Eu sei quando o passo é maior que minhas longas pernas. Eu sei ler entrelinhas. Eu sei quando a música é só minha. Eu sei me perder e me encontrar em um olhar. Eu sei, ninguém me ensinou, nem nasci sabendo. Eu sei quando quero e o que quero, não que eu não tenha dúvidas, mas eu sei atenua-las. Eu sei quando o envolvimento pode me prejudicar, mas também sei mensurar se vale a pena. O que eu ainda não sei é o quê te dizer para te fazer entender que o quê eu quero de você é o mesmo que você quer de mim. Mais.




 

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

 


No fundo, e nem tão fundo assim toda mulher espera que o seu príncipe encantado seja como o cara que ela criou dentro do seu íntimo. Ele não é um cara, afinal, um cara é só aquele cara que se conheceu naquelas festas que se vai todo final de semana. Mesmo que esse cara que eu criei não seja o meu, ele vai ser o de alguém um dia, ou já foi, quem sabe?! Esse príncipe tem um jeito manso que é só seu . Alguém que não tem uma atmosfera perturbadora, mas encantadora. Alguém que você dificilmente encontrará numa festa dessas que se vai todo o final de semana. Ele não é um desses, ou se é, não parece. Ele se veste bem, tem o cabelo mais liso e lindo que você já viu, é branquinho como você imaginava que fosse. Seu príncipe pode ser da cor que você quiser e ter o cabelo que você quiser e usar as roupas que você quiser, ok, imagine como queira! Entretanto, todos eles têm em comum o ar poético. Não, ele não é de falar de poesia, tão pouco toca violão na varanda, mas é que quando ele dá notícias, aqui, na caixa do correio, no celular, ele deixa o seu dia mais bonito, mais colorido, mais musical, mais leve. Ele utiliza expressões como bom dia, boa tarde, boa noite, durma bem, sonhe com os anjos, sinto sua falta, oi minha querida. Tudo o que ele fala te faz achar que você é aquela princesa do conto de fadas que mais leu quando criança. Um sonho... mas ao seu alcance. Tudo nele é bom, é doce, é sensível, é educado. Tem um apurado senso de humor e gosta de cinema. E numa dessas conversas virtuais você falta dizer para ele que quer enroscar seus pés gelados debaixo do seu cobertor quente. Aqui ou na sua casa. E você aposentaria as caixas de Dorflex por que ele parece ser a cura para todas as suas dores. É como se tudo o que você fizesse desde que o conheceu fosse pensando em como ele se comportaria. É que de uma hora para outra os caras [esses sim, caaaaaaras] não têm a mínima graça. Não fazem o seu tipo e parece que nunca fizeram. Como pode ter gostado de alguém antes? Não se preocupa, é normal. Se você nunca pulou de páraquedas, como é que vai saber que gosta?! Esse homem que é assim, eu tenho, mas não conheço. Não sei se quer se um dia vou conhecer. Do que sei dele é que ele gosta de sorvete de flocos, ronca [mesmo duvidando que uma pessoa assim ronque], que no nosso aniversário ele vai me chamar pra dançar "The way you look tonight" a meia-luz, e irá me buscar no trabalho do nada só para irmos comer sushi. Ele sabe que eu sou fascinada por sushi. Mas não sei se ele vai gostar do meu sanduíche e da minha palidez matinal. Ele não fuma, nem tem aqueles amigos chatos que gostam de falar em cima de você te cuspindo dos pés à cabeça. Sorriso de cinema, de galã não! [os galãs são muito enjoadinhos] Ele também leu em algum lugar que eu não gosto daquilo ou disso, mas nunca por ter me perguntado. Ele não gosta de regata! Príncipe que se preze tem que manter aquele certo ar galanteador. Enquanto o meu príncipe ainda não resolveu mostrar seu valor pra mim, eu fico aqui bancando a Bela Adormecida, ou qualquer outra princesa dessas da Disney.


 

terça-feira, 18 de novembro de 2008

 



Oi saudade. Finalmente consegui te encaixar na minha nova vida. Hoje, quando você me permitiu que ouvisse aquela música eu senti os olhos marejarem, não de tristeza ou de qualquer sentimento que eu sentiria antes ao somente tentar ouvi-la. Não, foi uma sensação de liberdade. Você ainda está aqui dentro, eu sei. Mas agora decidiu parar de doer, está dormindo em alguma parte desse meu órgão bobo e que considero desnecessário no momento. Sei que você vai acordar às vezes, sei que vai querer doer e vai me deixar com aquele nó na garganta no qual eu já me familiarizei, mas só o fato de você está deixando que eu viva a minha vida, aos poucos como quem está naquele período de convalescência já faz com que eu seja grata a você.

Obrigada.



 

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Oi, é segunda-feira! :D

 


E se for de sofrer por mais alguma coisa, que seja por algo consentido.
Oi, Deni. Bem-Vinda novamente.





Bonitinhos e Bonitinhas, estou excepcionalmente feliz. :D
Recebi um e-mail anônimo (oi?) escrito apenas: The Maine - Into Your Arms.
Coração bateu lá no pé. Mas, será? Não creio.
Baixei a música, e o coração que batia lá no pé começou a alternar do lado direito pro esquerdo.
É ela, a tal música. :D
Obrigada, digníssimo anônimo. Que na próxima vida Deus lhe dê personalidade para se identificar e um bom cabelo liso da propaganda da Seda para mim.
Amém!



 

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Tarde enfadonha de quinta-feira:

 


Aham, Deni. diz:
Meu Deus, se a consulta dela demorar mais 10 minutos ela vai ter conseguido ligar para todos os números de AaZ da agenda dela.

NETA diz:
E é porque tá com dor de dente, imagine se não fosse...

Aham, Deni. diz:
huoaueiauheuaoiehauoeuahea

Aham, Deni. diz:
Ela já teria pedido meu celular pra ligar pra minha agenda também! :D

NETA diz:
A Oi num dá celulares de graça quando vc liga demais? Então, no caso dela a Oi teria de dar um carro... heuaieheuahueiaueha



EDIT:

CAAAARA, a música tocou agorinhaaaa! É uma que tocou na hora que todos os participantes se reencontraram
. Antes de Panic, at the disc! QUAL É!?!?!
Tô ficando deprimidia.

 

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

CAMPANHA: Faça uma Deni temporariamente FELIZ!

 


Prezadíssimos meia dúzia de leitores, alguém aqui assiste aquele Reality Show do Programa Mais Você?! Não, não é aquele que a vadia mulher vai lá encontrar namorado. Ainda não tô desesperada. É aquele outro, o tal do Super Cheff. Então, tem um solo musical que me mata! Sério, eu amo. Mas não faço nem idéia de qual música é. Então, pelamorquevocêstemamãedevocês, alguém sabe qual é o nome daquele solo? Alguém sabe de alguém que sabe? Alguém sabe onde eu posso descobrir?
Ó, céus. Essa minha possessividade.


 

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

 


Sendo eu mesma, deixando todas as máscaras da mulher auto-suficiente que sabe que a dor de perder um grande amor vai passar, eu venho aqui praquele desabado. Minhagente, não tá fácil. Coração dói, dói, dói quando a gente quebra a cara. Mas, e aí? Do que adianta? O cara tá lá muito bem obrigada, saindo, se divertindo e me enterrado no passado. E eu aqui, sendo boba e acordando dia após dia achando que amanhã ele vai me ligar porque 'bateu saudade, lembrei do tempo que a gente se amou'. Acordamiafia, isso aqui não é Malhação, não. E tu acha que eu não sei? Tudo que eu sinto parece tão íntimo, pessoal e intransferível que mal consigo desabafar direito com as pessoas que eu tenho por perto. Exceto uma mocinha, que ironicamente, conheci no dia em que 'a dor desse amor' me pediu em namoro. De lá pra cá, nunca mais nos vimos pessoalmente, mas quando o tsunami passou na minha vida, tava lá ela. Sempre perguntando como eu tô, se aconteceu alguma novidade. Aquelas coisas de companheira mesmo, sabe? Eu ando tão absorta nessa minha novela de canal de quinta categoria que acho que não agredeci a ela por ser aquele alicerce quando eu acho que tudo vai desmoronar.
Biani, obrigada. Obrigada mesmo, meu bem. Quando eu me sinto perdida, é você quem eu penso primeiro em procurar.


 

Rá! Eu tenho sim alguma dignidade. :D

- Quando você estiver preparada, me liga pra gente tomar um drink.

- Eu não bebo.
[deni]cara de desdém[/deni]

terça-feira, 11 de novembro de 2008

 

Me devolve minhas músicas. Aquelas que eu gostava antes de você, aquelas que eu ouvia e almejava ter alguém pra fazer história com elas. Aquelas que estão na memória do meu celular, mas que eu não tenho coragem pra ouvir. Coração lateja, é difícil. Me devolve as minhas preferências e referências. A minha vontade de assistir um filme no final daquele domingo modorrento. E pode ficar com a minha vontade de dormir pra não vê a vida passar, essa eu realmente deixo pra você. Me devolve a minha fome, o sol do meu sorriso, os meus dias e noites. Me devolve o meu sono bom. Fique com todas as lágrimas que eu já deixei rolar por você, não faço questão de tê-las. Fique com a vontade que eu ainda quase tenho de querer você.


 

sábado, 8 de novembro de 2008

Enquanto isso, no trabalho.

aham, Deni diz:
cansei de mim

nanda diz:
como?

aham, Deni diz:
cansei de mim, simples.

nanda diz:
termina contigo...

aham, Deni diz:
eu não, vou sofrer duas vezes.

nanda diz:
heuaiueiaheuaiuehauhea

aham, Deni diz:
uma porque eu me larguei e outra porque fui largada, melhor empurrar com a barriga...

nanda diz:
já tá perto do almoço?

aham, Deni diz:
falta uma hora.

nanda diz:
é por isso...

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Ontem teve bolinho e refrigerante com direito a velinha e balão azulzinho pro Elias Miguel. Lógico que eu cheguei em casa, comi do bolo, dei um cheirinho no meu baby (antes que você pense que ele é MEU baby, ele é o baby da minha irmã que é meu, entende?), tomei o banho merecido daqueles que trabalham dozehoras por dia e capotei na cama para o pouco sono merecido daqueles que trabalham dozehoras por dia.
Ah, queridos meia-dúzia-de-leitores, mas eu tenho um plano para pôr em prática, não se preocupem com meu bem-estar. Namorada terminou com Chefinho quando descobriu que ele não tinha um banco, e sim uma clínica odontológica. Chefinho está deprimido, tadinho. Ligaram os pontos? Isso mesmo, queridíssimos meia-dúzia-de-leitores, esse é o plano B.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Depois de 'felicidade é um fim de tarde olhando o mar', a única música do tipo emozinha-com-tendência-hardcore que ficou tocando no meu super-celular-com-camêra-de-cinco-mega-pixel-e-memory-card-de-quatro-gigabytes que eu espero não ficar sem devido essa declaração é pipoca do playmobille.
Adorei, sabe?
Então, meliganãofazpose.





Edit:



Desejem todos Feliz Aniversário de TRÊS meses para o meu amor mais lindo de todos os amores do mundo, Elias Miguel. :)

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Na semana passada, recebi um e-mail não anônimo de um cara que vamos intitular de Don-Juan-de-Nebraska. Enfim, após ler o e-mail, a primeira coisa que fiz como boa paranóica que sou foi jogá-lo no Google, mas pra minha não surpresa, não houve nenhum resultado. Ok, isso só quer dizer que o Don-Juan-de-Nebraska não é quem diz que é, o que já faz com ele perca metade dos pontos comigo. No e-mail ele diz que morava em Nebraska e que concluiu seu curso lá, retornando depois para Teresina e então me encontrou na internet. Seria pelo Orkut? Vai saber. Mas se foi pelo orkut, como ele chegou até meu blog? No e-mail ele conta que é ‘vidrado’ nos meus textos e por isso quis me conhecer. Fala sério. Nem no meu Orkut e nem aqui no Blog tem o meu e-mail. Ou seja, na melhor das hipóteses isso é alguma brincadeira de alguém que realmente me conhece. Não que todo o meu enorme ciclo de amigos saiba que eu tenho paixão pelo Vasco, porque afinal de contas, eu ando longe de ter orgulho de tudo que gosto, mas o cara sabe. E ainda afirmou que muitas vezes me viu aqui em Teresina e nem sabia que eu seria eu. Pode? Só eu tô achando isso tudo muito contraditório?

Então, Don-Juan-de-Nebraska, me assustar você não assustou. Mas me deixou intrigada. E eu não sou a melhor pessoa do mundo intrigada, sou muito desconfiada, sabe? Não ando aceitando doce de estranhos e nem me apaixono por um cara que manda um e-mail. É válido te dizer que mesmo na era da inclusão digital não se conquista mulher assim, vá pelos métodos antigos, me mande flores e se apresente.

P.S: Eu não me recomendo. ;)

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

certo. eu vou escrever um texto legal e otimista.

"e bola pra frente." (suspiro)