sábado, 18 de abril de 2009

Eu ando tão cheia de amor que a vontade que eu tenho é de pintar um coração em todos os pingos dos i's que eu for capaz de escrever. Antes a caneta dançava na minha mão, e o máximo que ela involuntariamente traçava eram setas ou meu próprio nome. Hoje, só consigo escrever "Filho, mamãe te ama..."
O meu lado esquerdo do peito, e lado direito também porque a ordem dos amores não altera a dimensão de tudo o que eu sinto por esse ser tão meu, o meu ventre, e tudo em mim é só dele.
Hoje, é impossível não acreditar que Deus existe, e que nos deu o dom de fazer o maior milagre do mundo: O de gerar uma vida.