segunda-feira, 6 de abril de 2009

Daí, né. Namorido foi pro Enduro a Pé ontem com meu irmão. Daí, né. Fiquei dormindo em casa, e mais tarde papai ia me buscar para passar o domingo na casa dele. Daí, né. Papai quase não chega e eu desejando o cuscuz de arroz da minha mãe. Daí, né. Papai chega, me pega, como meu cuscuz, tomo minha vitamina, e vamos ao supermercado, eu, papai e irmã. Fila enorme, nã, desiste. Vamos comprar o essencial na feirinha e amanhã mamãe faz o supermercado. Ok. Chega na feirinha, primeira parada: frigorífico.

- Ain, pai. Me dá a chave do carro pra eu esperar lá.
[sentindo as pernas faltarem]

- Não, vamos logo comprar umas frutas pra ir adiantando.
[disse irmã, na tentativa de otimizar o tempo]

- Tá, vamos.
[disse eu para não preocupar ninguém]

Daí, né. Que quando chega na frutaria.

- Ain, alguém me segura.
[disse eu com o mundo girando e o chão faltando nos meus pés]

- Menina, tu tá roxa. SEEEEEENTA!!!
[disse irmã desesperada]

Daí, né. Que o povo juntou em cima de mim. E uma senhora perguntou o que eu tinha. E a irmã disse que eu era gestante. Daí, né. Muito rapidamente, geral me sentou numa cadeira confortabilíssima, embaixo de um ventilador e prontamente me deram um copo de água bem geladinha. Ah, os poderes milagrosos de um copo d'água.

Enfim, todo mundo fica tão mais humano perto de uma grávida, não é?