quarta-feira, 28 de outubro de 2009

"Não me lembro como eu era antes de você..."

Quase uma semana depois do dia mais intenso, perfeito e maravilhoso (sem mencionar único, inesquecível e etc, etc, etc) aqui estou eu. Aliás, estamos nós!
Theo tá dormindo agora, depois de um mamar de 40 minutos, vou tentar relatar o parto e colocar algumas fotinhas pra vocês conhecerem meu pedacinho de céu.
(Pausa pra ir vê se tá tudo bem lá dentro, mãe neurótica a gente vê por aqui.)

Vamos lá?!


Na quinta, às 4hs da madrugada comecei a sentir umas cólicas. Pensei que pudessem ser gases, mas nunca imaginei que seria o início das contrações. Minha irmã que dorme comigo quando o Bráulio não dorme aqui havia saído pra ‘night’ e ainda não tinha voltado. Achei melhor ir dormir no quarto dos meus pais, pois senti um medinho de que pudesse acontecer algo. Deitei lá com eles, mas não consegui mais dormir. As dores vinham, eu me retraía toda, mas não cheguei a dizer aos meus pais o que estava sentindo. Ouvi minha irmã chegando umas 4:30hs e fui deitar no meu quarto. Mas não dormi mais. As contrações vinham de 20 em 20min. Eram fortes, mas suportáveis! Amanheceu o dia, meu pai veio ao quarto às 7:30hs e eu pedi que ele chamasse minha mãe. Contei a ela o que estava sentindo sem muito alarde. Ela pediu que eu ligasse para o Dr. Marcello. Esperei dá 8hs, nisso as dores já vinham ritmadas de 10 em 10 minutos. Minha mãe teve de sair para o supermercado, eu fiquei com minha irmã, e liguei para o meu médico. Expliquei o que sentia e ele muito calmamente disse: Certo, então nos encontramos às 10horas na maternidade, pois preciso passar no consultório antes. Eu perguntei se ele iria me examinar, mas ele respondeu que eu estava em trabalho de parto, já iria ter o Theo. Peraí, num era amanhã?

(Pausa pra ir vê se tá tudo bem lá dentro, mãe neurótica a gente vê por aqui II)


Liguei pra o Bráulio que ainda estava dormindo e disse tranqüila: Amor, passa no banco, saca o dinheiro. Theo vai nascer, tenho que estar na maternidade às 10hs.
Precisa nem dizer como o coitado reagiu, né?
Em cinco minutos ele já estava aqui, mas minha mãe ainda não tinha chegado. Tomei banho, me arrumei (muito calma e tranqüila) e fui colocando as coisas no carro. Minha mãe chegou e levou um baque quando me viu só no ponto de pra maternidade. Aí o povo ficou tenso! HAHAHA
Eu era a única calma e centrada, a galera aqui de casa tava toda atrapalhada, eufórica!
Chegamos a maternidade às 10hs em ponto, ligamos pro Dr. Marcello e ele disse que eu fosse dando entrada na internação. Nisso já estavam lá meus sogros, minha prima Gardênia, minha cunhada Amanda, o Bráulio (que parecia que ia parir) e minha mãe. Meu pai havia ficado em casa com meu afilhado.
Fui internada, e as contrações começaram a apertar! Gente, que dooooooooorrrrrrrrrrrr...
Esperei o Dr. Marcello chegar por quase 1h, todo mundo no quarto prestes a ter um infarto e eu prestes a parir de tanta dor. HAHAHA
Quando chegou e me examinou, já foi logo mandando preparar o centro cirúrgico. Seis centímetros de dilatação, tudo propicio ao parto normal, mas meu medo não me deixava optar por ele. Me despedi de todos no quarto e fui para o centro cirúrgico. Aí caiu a ficha! Comecei a chorar, sentir medo, queria o Bráulio ao meu lado, mas ele tinha que se arrumar antes.
Me preparam para entrar na sala de parto, e eu já estava tensa querendo saber do Bráulio, mas quando entrei no centro cirúrgico ele já estava lá! Alivio imediato...
Todo mundo muito carinhoso, aplicaram o soro que doeu muito, a anestesia que é a oitava maravilha do mundo, e pronto. O resto foi só alegria, literalmente! Comecei a gargalhar lá... Vai entender!
Bráulio filmou o parto todo, que começou às 12:00hs, e às 12:16hs eu escutei. Meu Deus, foi mágico. Aquele choro forte, aquela pessoinha minha tão pequena, tão... tão... tão... MINHA!
“Ele é perfeito!” A enfermeira não poderia ter dito nada mais certo!
Theo nasceu com 3.255g e 48cm no dia 22 de outubro. Teve apgar de 9 no 1º minuto e 10 no 5º!
Começaram a me costurar, e eu rezava e chorava, e agradecia, e dizia o quanto amava meu filho e o Bráulio.
Parecia uma eternidade pra me costurar, senti muita ansiedade em vê meu anjinho de novo. Fomos pro quarto e lá estavam a nossa platéia. Todos chorando emocionados, dizendo em coro o quanto ele era lindo. Que ele era a cara do Bráulio, mas que o nariz era meu.
Minha recuperação foi surpreendente! Às 18hs da tarde eu já queria levantar, falar, receber minhas visitas. E haja gente brigando comigo! rs
A noite foi um pouco ‘grande’, pois meu lindo não pegava meu peito (assunto para o post de amanhã), mas ele é tão tranqüilo que bastava o deitar ao meu lado que ele se acalmava.
Fez caquinha ainda no primeiro dia, e tomou banho no dia seguinte.
Não tive problema em me levantar, não senti dor nos pontos, não senti tonturas, tomei banho sozinha e todos se surpreendem quando digo que o parto foi cesáreo.
Recebemos alta no sábado e um novo capítulo começou...


Enfim, obrigada a todas pelas lindas mensagens de carinho. Obrigada pelos pensamentos positivos, obrigada por terem acompanhado a minha gravidez, e ainda estarem aqui pra presenciar os dias mais sublimes da minha vida.
Volto amanhã, ainda tem muita coisa que quero contar à vocês e muitas dúvidas para vocês tirarem ;)


E agora, tenham o prazer de conhecer O Meu Pedacinho de Céu:






Nas primeiras horas de vida. Ainda inchadinho... Meu céu!
Prometo que amanhã, com mais tempo coloco mais fotinhas, ok?