sábado, 17 de janeiro de 2009

Assim que cheguei em casa coloquei o chip que você me deu no celular. Tava lá mexendo quando encontro arquivada no chip aquela primeira mensagem, lembra?
Há exatos um ano e dez meses. Naquela noite que a gente se conheceu. Quando eu desci do apartamento e você estava lá; O amigo da Lara, irmão da Amanda. Meu futuro companheiro, quem poderia dizer. Eu sentei atrás de você e adorava aquele joguinho de troca de olhares pelo retrovisor do carro. Eu ria efusivamente e te queria descontroladamente. Eu te quis assim, logo de cara. Por uma noite, por duas, quantas você me permitesse te querer. E eu te quis ainda mais quando na festa o mundo inteiro conspirou para que a gente ficasse junto, porque todo mundo podia vê que a gente era lindo junto. Veio você, com o violão para me encantar, a música preferida da minha banda preferida seguida do melhor beijo do cara que, sinceramente, é muito mais que preferido. ETERNO.
E desde aquele dia 'eu carrego comigo a grande agonia de pensar em você toda a hora do dia...'


22 meses e seguindo.
Te amo.




17 de março de 2007.