terça-feira, 2 de dezembro de 2008

 


Eu posso ser feliz sem ele. Eu posso me arrumar, ficar bonita e sair, sem ele. Eu posso ser educadamente irresistível e irresistivelmente educada, sem ele. Eu posso me divertir, contar piadas, sorrir, sem ele. Posso achar beleza nas músicas, posso assistir filmes e achar bom, posso ir onde quer que eu queira, sem ele. Posso trabalhar bem, posso me arranjar, sem ele. Mas tudo, tudo mesmo, só parece valer a pena se for com ele.


E acreditem, eu sou bem mais feliz assim. Com ele.