sábado, 6 de dezembro de 2008

Então que o caso foi o seguinte.

Estava lindaloiraltaemagra e saltitante porque finalmente o dia cinco chegou. Adoro o dia cinco. Me sinto mais rica, sabe?! Momentaneamente. Mas ninguém é feliz cemporcento. Então que lá vai eu lanchar no refeitório. Abri a porta quando me bate aquela tonturinha. Ui. Fui de encontro a porta, ou a porta foi ao meu encontro. Não sei bem ao certo. Só sei que o belo impacto resultou em um corte no lábio inferior. Foi uma delícia, minhagente. Sangue, sangue, sangue. E eu tonta e vendo o sangue pingar. E ai dor. Ai ai ai. Agora sorrir doi, comer doi, falar doi. BEIJAR, minha gente, beijar nem sei se pode. E tem feriado prolongado aí, e eu aqui com a boca parecendo que levei um murro. Alguém tem um desapreço muito grande pela minha pessoa loira.

Enfim, feriado aí. Feriado religioso, minhagente. Então não bebam até ficar íntimos da garrafa, ok?


Oremos. Todos.


Up to date:

1. Perabemaí, me desesperei. Tu quer dizer que eu passei doismeses sem o meu namorado e na primeira semana que a gente se entende e volta eu NÃO posso beijá-lo?! É isso? Ah tá. Tudo bem, Murphy.

2. Oh céus, abençoa o Vasco. Não deixa que o Flamengo abra as pernas. Concientiza ele que é melhor ele ganhar e ir pra Libertadores do que perder só pra vê o Vasco ser rebaixado. Ilumina Madson, Animal, Leandro Amaral, Leandro Bonfim, Amém.


Oremos todos [2]